artes visuais

Haruo Ohara. “Enxada no ar”

Enxada no ar, 1948 Provavelmente ele estava agachado no chão, enquadrando a imagem para que pudéssemos ter toda a atenção para esse objeto tão importante para o trabalhador da roça: a enxada. A política na arte, já mencionou Rancière em grande parte de seus textos, se encontra a partir das fissuras que a imagem pode… Continuar lendo Haruo Ohara. “Enxada no ar”

artes visuais

A potência política nos vestígios de performance.

(leia aqui.) RESUMO Neste artigo, aponto para uma discussão em decorrência das possíveis potencias políticas envolvidas nos objetos que restam das ações de performances realizadas. Baseado nas ideias que relacionam o estético e político na obra de Rancière, observo nos trabalhos do artista visual de Salvador, Tiago Sant’Ana - dos quais ele se utiliza dos… Continuar lendo A potência política nos vestígios de performance.

artes visuais

A performatividade na pintura de Tangerina Bruno

Letícia e Cirillo são irmãos gêmeos nascidos e criados em Porto Ferreira, cidade interiorana de São Paulo, próximo de Ribeirão Preto. A essas duas individualidades, nasce uma terceira, o substantivo próprio do sobrenome de ambos, o qual dá origem a um sujeito artista, uma nova identidade chamada Tangerina Bruno. Por detrás de todo esse mistério… Continuar lendo A performatividade na pintura de Tangerina Bruno

artes visuais

Geometrias imperfeitas de Jorge F. Soto

Geometrias imperfeitas A contextualização geográfica e histórica são de extrema importância para projeção de desdobramentos na compreensão de trabalhos dos artistas. É o caso da série de colagens intituladas “Geometrias imperfeitas” do artista uruguaio, Jorge Francisco Soto. Quem acompanha a sua produção desde o final de 1980 e início de 1990, pode notar a diferença… Continuar lendo Geometrias imperfeitas de Jorge F. Soto

artes visuais

Erodir para reconstruir

Erosão Diferencial reúne diversos trabalhos de um dos artistas contemporâneos mais importantes da cidade de Campinas, Marcelo Moscheta. A relação do ser humano com a paisagem é o elemento que percorre por todos os seus trabalhos apresentados. A pedra é outro objeto que está sempre presente, como em Deslocando Territórios, em que o artista apropria-se… Continuar lendo Erodir para reconstruir

artes visuais

Resenha: “A Invenção de Hélio Oiticica”

Por: Allan Yzumizawa   O livro “A invenção de Hélio Oiticica” escrito por Celso Favaretto e publicado pela editora EDUSP, traça um percurso da produção de Oiticica, ressaltando o seu carácter experimental e marginal, tendo sempre como base os textos do próprio artista. Esse feitio é que descreve a desestetização, a qual o próprio artista… Continuar lendo Resenha: “A Invenção de Hélio Oiticica”

artes visuais

As contradições de Duchamp

Marcel Duchamp, sempre disse não ter sido movido por qualquer ideia específica quando montou o trabalho, Roda de Bicicleta (1913). Rue de bicyclette (seu título original em francês) foi uma coisa que aconteceu por diversão, segundo o próprio artista. Era algo para se ter num aposento assim como uma lareira, a diferença é que ela… Continuar lendo As contradições de Duchamp